segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Prefeitura realiza ações ambientais na Lagoa Itatiaia com limpeza e plantio de mudas

A Prefeitura de Campo Grande realizou, na manhã desta segunda-feira (26), a limpeza das impurezas e resíduos das águas da Lagoa Itatiaia -  considerada um cartão postal da cidade - e mais o plantio de cerca de 30 mudas de árvores no entorno. A ação,  faz parte das atividades ambientais que marcam o Dia da Árvore, comemorado no dia 21 de setembro.

A ação de limpeza e plantio coordenada  pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano  contou com a participação de aproximadamente 60 alunos do “Projeto Florestinha” da Polícia Militar Ambiental e mais 30 crianças participantes do CRAS Tiradentes (Centro de Referência de Assistência Social Teófilo Knapik) e patrulheiros ambientais da Guarda Civil Municipal.  Durante toda a manhã, os trabalhos concentraram na retirada de resíduos da lagoa e do lixo deixado no entorno com a  coleta de sacos plásticos, papéis, garrafas e  latas. 

Retirada de lixo         
A retirada de resíduos sólidos  é de fundamental importância porque ajudam na conservação, na vida dos peixes e do meio ambiente. A área do entorno recebeu cerca de 30 mudas de árvores como ipês roxos, tarumãs, paineiras e angicos cultivadas no viveiro municipal Flora do Cerrado. A Lagoa Itatiaia serve de pouso para aves migratórias como marrecos, pássaros pretos, garças, entre outros pássaros da região. 

Conscientização  
João Vitor Rafael da Silva, 11 anos, que participa do Projeto Florestinha destaca que todas as crianças deveriam colaborar com ações ambientais na cidade. “As pessoas não podem matar as árvores porque elas fornecem frutos e sombra. E as pessoas não devem jogar lixo na lagoa para que os peixes não acabem morrendo”, justificou.

Presente à ação, o major Queiroz, da Polícia Militar Ambiental destacou a importância da participação da população que reside nas proximidades da Lagoa Itaiaia na preservação do local e dos frequentadores para o cuidado com o espaço, mantendo o ambiente limpo jogando os resíduos nas lixeiras adequadas. “A limpeza que está sendo feita pelos florestinhas mostra que o lixo continua sendo deixado no local, foram retirados cerca de 500 litros de resíduos sólidos como isopor, garrafas pets, plásticos, resíduos orgânicos, papel. O resultado disso é a lagoa  assoreada e problemas ecológicos”, avalia.

Para a Psicóloga do CRAS, Alessandra Nere,  o trabalho de conscientização das crianças e moradores da região da Lagoa Itatiaia é importante. “A preservação desse local é muito importante e destacamos isso para as crianças que participam dos projetos do CRAS ”, comentou.

Educação ambiental
O Comandante da Patrulha Ambiental, Edgar Rojas  as solicitações de apoio no combate de crimes ambientais são realizadas rotineiramente conforme escalonamento e a participação dos patrulheiros ambientais em eventos ligados à educação ambiental é imprescindível. “As pessoas podem auxiliar no nosso trabalho por meio de denúncias, caso encontrem alguma atividade irregular que danifique o meio ambiente”, ressalta.

Para a moradora Eliane Menezes Ware, 53 anos, Educadora Física, a iniciativa da limpeza  é benéfica e deve ser realizada sempre na região. “Eu acredito que a limpeza é extremamente importante, assim como conscientizar as pessoas dos prejuízos da pesca na lagoa. Também é  relevante lembrar aos frequentadores o cuidado com o ambiente”, pontuou.

Orla Ferroviária
As atividades alusivas ao Dia da Árvore continuam nesta quarta-feira (28), quando a Semadur estará na Orla Ferroviária, entre a Avenida Mato Grosso e Av. Calógeras para distribuição de mudas de árvores frutíferas à população.


Joana Lima DRT/MS 1540










sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Semadur realiza Formação Continuada em Arborização no CEA Anhanduí

Os benefícios e cuidados com as árvores em ambientes urbanos foi tema do Lançamento da Formação Continuada em Arborização Urbana – Normas, Limites e Possibilidades promovida pela Semadur (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), na tarde de ontem (22), no Centro de Educação Ambiental Parque Ecológico Anhanduí.

A abertura da Formação Continuada iniciou-se com apresentação do músico Paulo Góes por meio de músicas regionais conhecidas em Campo Grande.

Logo após o Prof. Dr. Cristiano Pereira da Silva, Mestre e Doutor em Agronomia/ Sistema de Produção Vegetal da UNIGRAN Capital explanou sobre ecofiosiologia vegetal na absorção de carbono e diminuição de “ilhas de calor”, fornecendo temperaturas reduzidas ao ambiente urbano.

Prof. Dr. Cristiano Pereira da Silva destacou também a importância da árvore no contexto urbano em benefícios como a redução do consumo de energia elétrica, diminuição de enxurradas, maior biodiversidade de animais, além da valorização de viveiros de mudas urbanas e a importância da poda. “O avanço da arborização no ambiente urbano pode ser fortalecido por meio de viveiros como fonte geradora. Os órgãos públicos disponibilizando mudas de árvores como a Semadur já atua, gera um direcionamento para a população que dessa forma é despertada no interesse pelo plantio”, afirma Cristiano Pereira.

Também participou da Formação Continuada a Professora Roberta de Arruda Braga Silva Especialista em Geografia, Arquitetura e Urbanismo da UNIGRAN Capital que ministrou palestra sobre a composição das árvores nas grandes metrópoles de maneira harmoniosa e integrada. “Ressaltamos aos participantes sobre a preservação da arborização urbana fornecendo uma paisagem natural, na conscientização das pessoas e como as árvores são essenciais na composição dos ambientes urbanos, tanto pelo aspecto estético, econômico e social”, ressalta Roberta de Arruda.

Para Maria Aparecida Estodutto, Bióloga, que participou da Formação Continuada é extremamente necessário que todos tenham acesso a informações sobre a valorização das árvores nas cidades. “Sensibilizar as pessoas da importância de conservar e preservar as árvores, conhecendo todos os benefícios para o ser humano e outros seres vivos bem como o planejamento adequado para arborizar uma cidade com espécies adequadas”, afirma.

Íris Braga Justo, 22 anos, estudante de Engenharia Civil acredita que as informações irão auxiliá-la em sua futura profissão. “O ramo da construção civil está bem avançado, mas também temos que valorizar a arborização, pois as árvores têm muitas funções na melhoria da qualidade de vida de todos nós”, afirma.

Participaram da Formação Continuada em Arborização Urbana – Normas, Limites e Possibilidades técnicos ambientais da Divisão de Áreas Verdes e Posturas Ambientais e da Divisão de Fiscalização e Política Sustentável e Educação Ambiental da Semadur, patrulheiros ambientais da Guarda Civil Municipal, técnicos da Semju (Secretaria Municipal da Juventude) e acadêmicos da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco).


Joana Lima DRT/MS 1540